sábado, Julho 14, 2012

Apelo à manifestação 16 Julho, 2º feira, pelas 19h - Assembleia da República - "Relvas, obviamente demitimo-lo!"

Caros amigos e amigas,

Peço que adiram a este protesto e que façam sinalizar o vosso desagrado com a forma vil e perigosa que cada vez mais ameaça a democracia, o sistema político, a transparência e a decência na gestão do bem comum. Miguel Relvas é apenas um símbolo do que está verdadeiramente em causa: corrupção, imoralidade, nepotismo, clientelismo, arrogância e manipulação no exercício de cargos políticos.

Há limites para a vergonha que se está a passar... por isso na próxima segunda-feira (16 de Julho), pelas 19 horas, um grupo de cidadãos irá fazer uma manifestação a pedir a demissão imediata do Ministro Relvas. Não podemos simplesmente lamentar e encolher os ombros... temos de agir! Porque é o próprio regime democrático que está em causa com a falta de vergonha sistemática de politicos corruptos e mentirosos que não pudemos mais permitir que se perpétue.

Trata-se de uma MANIFESTAÇÃO APARTIDÁRIA, TRANSVERSAL À SOCIEDADE PORTUGUESA, pela dignidade do regime democrático.

Nesse sentido foi enviada a competente comunicação prévia para a Câmara Municipal, que já está informada da manifestação no dia 16 de Julho de 2012 pelas 19 horas em frente à Assembleia da República, em prol da demissão do actual Ministro dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas. E também no Porto, na Praça da Batalha pela mesma hora.

Podem também ler e assinar esta petição online: «Imediata Demissão de Miguel Relvas do Governo» http://www.peticaopublica.com/PeticaoVer.aspx?pi=dmrelvas

Sobre Miguel Relvas impendem os seguintes factos notórios e de conhecimento generalizado da opinião pública:
  • as moradas falsas declaradas na AR para receber subsidio de deslocação e de apoio à estadia;
  • o caso das viagens-fantasmas e de novo subsídios recebidos por viagens não realizadas;
  • o caso das falsas declarações biográficas e curriculares prestadas na AR, por 2 vezes reiteradas;
  • os contactos com o Sr. Jorge Silva de Carvalho (o caso secretas);
  • a mudança de versões, numa semana, de esclarecimentos ao Parlamento;
  • as pressões sobre a jornalista do Público, que, de resto, foram objecto de censura moral por parte da Entidade Reguladora da Comunicação e que resultaram em novas pressões sobre membros da ERC;
  • fundamentação insuficiente sobre a creditação de 32 das 36 cadeiras de um curso universitário, 23 anos após se matricular em outras Universidades e ter concluído apenas uma cadeira, com 10 valores - registo biográfico que se encontra omisso da bibliografia pessoal divulgada;
  • a indignação pública na generalidade da sociedade portuguesa perante a obstinada manutenção do Sr. Miguel Relvas no exercício de funções governativas.
  • (hoje mesmo surgiram noticiais de que terá recebido eventualmente uma reforma de 14 mil euros).

Para bem do regular funcionamento das instituições democráticas e da dignidade do nosso regime político, entre a legitimidade pelo título e a legitimidade pelo exercício, considera-se que os factos acima mencionados são mais do que suficientes para a efectivação da responsabilidade política.

Apela-se a todos que participem nesta manifestação de desagrado porque este tipo de situações não pode ser tolerada nem permitida. Este poderá ser o primeiro dia do resto da vida da nossa democracia.

Solicita-se a mais ampla divulgação e participação!

Paulo Raposo

Sem comentários: